Alexa faz sucesso lendo devocionais cristãos

Assistente virtual da Amazon lê textos na voz de autores famosos

0

 

Desde seu lançamento, o “assistente virtual” Alexa, criado pela Amazon vem fazendo sucesso. Assim como o Siri, da Apple, o Cortana da Microsoft e o Google Assistent, o objetivo é interagir com o usuário sem a necessidade de um teclado. O programa escuta a ordem e responde.

Com a universalização dos smartphones e o crescimento da popularidade de alto-falantes wireless, com a Echo, também produzida pela Amazon, a inovação está cada vez mais presente no dia-a-dia das pessoas. No Brasil eles ainda não são comuns, mas assim como muitas invenções no passado, com o tempo o preço tende a diminuir.

Por enquanto disponível apenas em inglês, a Alexa oferece respostas a vários tipos de consultas, podendo dar informações sobre compromissos, previsão do tempo e oferecer sugestões para uma refeição.

Uma das funções que está sendo muito utilizada pelos cristãos é a opção dela “ler” versículos bíblicos ou trechos de livros devocionais. Um contrato com editoras evangélicas como Zondervan e Thomas Nelson possibilita que aqueles que possuem um Echo ouçam o material na voz de seus autores.

Basta dizer: “Alexa, leia-me os devocionais para hoje” e automaticamente ela oferece seleções de pastores como Rick Warren, Judah Smith (Hillsong), Lee Strobel ou Jefferson Bethke. O catálogo oferece ainda leituras de material de autoras cristãs como Sarah Young e Lysa TerKeurst. O sucesso da empreitada já faz as editoras acreditarem que esse é o futuro das publicações.

Ler a Bíblia no celular ou em tablet não é mais nenhuma novidade, agora parece que os audiolivros estão indo pelo mesmo caminho.

“Esta é uma oportunidade sem precedentes para ganhar uma novo tipo de relação com o ótimo conteúdo de nossos autores, em forma resumida, acessível com um único comando de voz”, disse Sally Hofmann, vice-presidente sênior da divisão de livros evangélicos da HarperCollins.

O sistema é simples, o usuário tem direito a alguns dias para testar. Se gostar, pode adquirir a versão em áudio do livro e se inscrever gratuitamente para um boletim informativo que inclui um devocional diário.

Aplicativos aumentam frequência de leitura

Segundo a revista Christian Today, essa facilidade de se ter acesso aos textos já vem gerando críticas. Para alguns, a influência desse tipo de tecnologia sobre a vida cristã não é tão positiva.

A crítica mais comum é que as pessoas não precisam mais parar suas atividades para se dedicar a ler e refletir sobre os textos bíblicos. Deixar uma “máquina” escolher o texto do dia e tocar uma gravação “não é a mesma coisa”, afirmam os críticos.

Recentemente, a Sociedade Bíblica Americana e o Grupo Barna publicaram os resultados de seis anos de investigação sobre os hábitos de leitura da Bíblia e mostraram que menos de 40% dos cristãos praticantes leem as Escrituras regularmente.

Por outro lado a pesquisa “A Bíblia Digital e a geração do Milênio”, realizada pelo Centro de Investigação de Teologia Digital da Universidade de Durham, na Inglaterra, mostra que 66% dos cristãos com menos de 25 anos ‘na maioria das vezes’ lê a Bíblia na internet, enquanto 51% o fazem usando um aplicativo.

Um em cada quatro (25%) dos entrevistados, afirmam que passaram a ler a Bíblia com mais frequência após a terem instalada em seu smartphone ou tablet.

Artigos relacionados