Cantora gospel é criticada por chamar homossexualidade de “pecado”

Kim Burrell fez comentários durante um sermão e acusada de “homofóbica”

0

O filme “Estrelas Além do Tempo” conta a história de Katherine Johnson, matemática que teve um papel essencial na primeira missão que enviou o homem à lua. A música tema, “I See a Victory”, está entre as mais tocadas nas rádios americanas.

A gravação, que une Pharrell Williams e a cantora Kim Burrell, estava atraindo muita atenção para Burrell, cuja fama se limitava ao mercado gospel. A dupla vinha falando sobre a faixa em vários programas de TV.

Porém, quando Burrell pregou na igreja Love and Liberty Fellowship em Houston, Texas, afirmou que o “espírito de homossexualidade é um espírito de desilusão e confusão, que já enganou vários homens e mulheres”. Afirmou ainda que essas pessoas precisam de libertação e que o pecado gera a condenação divina. Finalizou dizendo “Você que brinca com isso, o que isso significa? Você vai morrer. Você brinca com ele na casa de Deus em 2017, você vai morrer com isso”.

Logo a mídia passou a massacrá-la, com o rótulo de “homofóbica” e acusaram-na de propagar “espírito de ódio”. Ela foi criticada abertamente por outros cantores. Acabou desconvidada do programa de Ellen DeGeneres, que é ativista LGBT. Pharrell Williams foi sozinho e também fez duras críticas à Burrell.

Devido à grande popularidade do programa “Ellen”, a cantora gospel viu ser cancelado o programa de rádio que ela apresentava em uma rádio universitária do Texas. Ativistas iniciaram uma verdadeira campanha de difamação contra ela na internet.

A cantora usou seu perfil oficial no Facebook para dizer: “Aqueles que estão envolvidos com o espírito de homossexualidade saibam que eu os amo porque Deus os ama. Mas Deus odeia o pecado”.

Em uma transmissão ao vivo, deixou claro que em seu sermão estava falando sobre como Deus odeia o pecado e não as pessoas e que ela faz o mesmo. Ressaltou que a luta do cristão não é “contra carne e sangue”, mas trata-se de uma “batalha espiritual”. Com informações Charisma News e The Guardian